sexta-feira, agosto 26, 2016

É possível fazer tops de tudo?

Há dias um colega de trabalho lançava-me o desafio de fazer a lista dos 10 melhores filmes da minha vida. Ora bolas, que raio de coisa, uma lista de uma vida (já com 43 anos) reduzida a 10 entradas?
Respondi-lhe logo que era impossível, mas jamais deixei de pensar nisso nas horas vagas.
Volta e meia passava por ele e dizia-lhe, o "Citizen Kane" tem de entrar, e ele logo concordava que esse seria o número 1, dias depois informava-o de que o Magnolia teria de estar lá e ele respondia-me com um nariz retorcido e olhar de reprovação "a sério?" (tudo porque ele não sabe o quanto bebi do filme fora dele - a banda sonora genial, tudo o que o filme não nos diz, mas deixa saber)
A Vida de Brian também teria lugar cativo, mas a partir deste ponto torna-se quase impossivel avançar (perdao, o teclado avariou e perdeu os acentos). Ha (continua avariado) os filmes que estranhamente nao vi (Platoon, Padrinho - todos), os que nao recordo assim de repente e uma incapacidade tremenda para decidir. Por exemplo, vi o Dancer in the Dark e achei tao forte e bom que nao quis ver mais; o Exorcista que me meteu tanto medo que ainda hoje nao quero rever - deve ser sinal de que e optimo). Ha sete lugares por preencher e a certeza de que se avançar com a lista, vou ate duvidar dos que fixei atras. Assim, fica o desafio ao meu leitor (imagino que ainda haja alguem a passar aqui de vez em quando). Faz ai a tua lista. E quem sabe eu ganho coragem para fazer a minha...

Sem comentários: